Pedagogia

justificativa

 

A educação tem uma função social definida e está vinculada ao processo de conquista e vivência da cidadania pelos integrantes de uma sociedade que se quer democrática. Por isso, o Instituto Superior de Educação Santa Rita de Cássia, enquanto agência formadora tem um compromisso específico na busca e na construção da competência técnico-profissional, permitindo as participações lúdicas, críticas e responsáveis na construção dessa cidadania.

É sabido que diversos são os determinantes que favorecem a deterioração da qualidade da educação ofertada na escola pública e privada e que, muitos deles, estão diretamente ligado às relações sociais e econômicas as quais está submetida grande parte da população. É preciso que se tenha clareza de que alguns desses determinantes estão diretamente ligados ao sistema educacional e que, sem perder de vista a globalidade e as circunstâncias, devem ser tratados no seio de suas peculiaridades e características.

O saber e o conhecimento humano, no mundo globalizado, parece perder muito de sua função de busca de sentido para a vida, justificada pela incessante competição que se associa ao poder econômico e convive com brutal exclusão social. Apesar de sua pretensa hegemonia, a globalização da sociedade não elimina a “Cultura Regional”, os grupos cultivam identidades próprias, as realidades se alimentam no local do diferente.             Assim, institui-se um mundo de diversidade, da pluralidade de cultura e da necessidade de múltiplos olhares sobre a realidade educacional e, sobretudo a Educação.

O papel das Instituições Educacionais relacionado à formação profissional necessita de uma redefinição que possibilite acompanhar a sociedade e que defina os contornos do exercício profissional contemporâneo, entendendo a formação do professor como tarefa que se realiza ao tempo em que acontecem as inovações. A decorrência normal desse processo parece ser a abordagem de modo a ensejar ao profissional a capacidade de investigação, definindo sua identidade profissional. Esse posicionamento exige o domínio dos modos de produção dos saberes na respectiva área, de modo a criar condições necessárias para o permanente processo de educação continuada.

As discussões que acontecem em todo o Brasil orientam para o fortalecimento da identidade dos cursos de formação de professores, tendo a docência como base comum de formação de todo o educador, na teoria e na prática como unidade indissociável na formação do profissional. O ponto de partida é a compreensão da sociedade com toda sua dinamicidade. Os homens, seres históricos, apreendem a educação necessária na medida em que são capazes de compreender o processo da construção da vida ou, o que não é diferente, o movimento de transformação do trabalho. Compreender esta questão é perceber que não existe educação à parte da própria materialidade que possa ser apreendida pelo homem.

Tratar a educação como uma ação mediadora da sociedade, como espaço de confluência do conhecimento científico e como profissão é tratar o próprio processo de realização do homem e, portanto, não é um processo exclusivo da escola, mas um compromisso que a transcende para tornar-se, também, um compromisso da história.

Isso posto, entendemos que formar educadores implica em possibilitar ao futuro profissional da educação o entendimento desta totalidade e, conseqüentemente, a capacidade de elaborar e reelaborar conhecimentos que lhe permitam ações mais articuladas e efetivas. Daí, a necessidade de formação de profissionais reflexivos, capazes de enfrentar as situações novas com que se deparam no dia-a-dia.

Para que isso se efetive, faz-se necessária uma sólida fundamentação teórica em torno das questões da prática educativa e, concomitantemente, um tempo significativo para a vivência e construção de novas práticas, de modo que o aluno vincule-se às diferentes realidades, não como mero observador, mas como sujeito, co-responsável com os demais sujeitos das práticas em questão.

 O que o professor pensa e crê são componentes básicos para as concepções em sala de aula. A reflexão, sob essa ótica, está na oportunidade de os professores se tornarem conscientes de suas crenças e suposições que estão subjacentes às suas práticas e compreensões, e de reconhecê-las no seu desenvolvimento profissional, cabendo ao curso de Pedagogia oportunizar reflexões sobre a prática pedagógica. Esse profissional deverá construir competências que lhe permitam interagir em sua área específica, sem perder a visão da totalidade e, sobretudo refletindo sobre o fazer de sua prática em sala de aula.

Neste sentido, o Curso de Pedagogia proporciona uma formação geral para a construção de referências amplas que contribuam para a construção do sujeito cidadão capaz de perceber, interagir e modificar o contexto social.

Esse curso comprometido com a Educação assim concebida insere-se no debate da sociedade para poder refletir, adequadamente, sobre os problemas específicos da região, enquanto conseqüência de um movimento social maior, no qual se encontra inserida. Entendemos ser necessário tratar da produção pedagógica vinculada à Educação como prática dos homens, isto é; um conteúdo pedagógico determinado pelo conteúdo social.

As considerações acima delineadas levam à definição dos seguintes princípios que atendem a uma abordagem pluralista da Educação, partindo da interdisciplinaridade implícita ao processo educativo:

    Princípio sócio-histórico do conhecimento. Entendendo o conhecimento como um produto da construção histórica do ser humano, que nas suas interações o constrói e reconstrói conforme suas necessidades;

    Princípio da compreensão do multiculturalismo formador da sociedade brasileira. A pluralidade das etnias existentes, que dá origem aos diferentes modos de organização de vida, valores e crenças, apresenta-se para a Educação como um desafio interessante e contribuidor, de que é impossível desconhecê-lo ou ignorá-lo;

    Princípio da compreensão da pesquisa como processo educativo enquanto fio condutor e elemento aglutinador dos demais componentes curriculares, constituindo-se em elaboração pessoal articulando teoria/prática;

    Princípio da compreensão de transversalidade e interdisciplinaridade entendidas como elementos necessários do caráter vinculado ao conhecimento das diversas áreas, construídas a partir de um espaço social que as produziram;

    Princípio de uma concepção de sociedade com maior justiça social, o que pressupõe melhor qualidade de vida. Entendimento de que se torna necessário rever as formas de pensar e atuar sobre a realidade que não se apresenta de modo linear, num contínuo de causa e efeito, mas de modo plural, numa multiplicidade e complexidade;

    Princípio da compreensão da sabedoria da prática, como guia fornecedor da racionalização reflexiva para a atuação dos professores. Esses saberes são específicos e desenvolvidos pelos próprios professores. Esses princípios estão fundados no seu trabalho cotidiano e no conhecimento do seu meio, que brotam na experiência e são por ela validados.

         Dessa forma, pensa-se o curso não apenas como mediação para gerar saberes, mas também pela fundamental dimensão de repassar valores culturais da vida dessa região. O rápido crescimento da vida urbana faz com que, cada vez mais, as crianças fiquem deixadas aos cuidados de terceiros ou até desacompanhadas.

Por essas e outras razões, o curso de Pedagogia procurará qualificar profissionais que saibam enriquecer a vida das crianças com valores e elementos afetivos e sócio-culturais que possam levá-las a se tornarem cidadãs que acrescentem qualidade à vida humana.

           Assim posto, o Curso de Pedagogia com Formação de Professores para Educação Infantil e Anos Iniciais do Ensino Fundamental, constitui-se em um todo orgânico, fundamentado em estudos acerca da sociedade, do homem da educação e do professor abrangendo aspectos pedagógicos, filosóficos, históricos, políticos, econômicos, sociológicos, psicológicos e antropológicos, compreendendo a escala como espaço de construção, de organização e desenvolvimento do trabalho pedagógico.

Para tanto, é importante desenvolver a criatividade, buscando a eficiência e eficácia. É preciso dar-se conta das crises, pois a partir daí, pode-se firmar a idéia de que não há força maior para incrementar a qualidade do que a crença, ligada a uma perspectiva e ao desejo de aperfeiçoar uma metodologia participativa com vistas à melhoria do ensino.

Assim, o Curso de Pedagogia vem responder a busca da excelência humana, ou seja; cidadãos éticos, solidários, comprometidos com o coletivo e com a melhoria na qualidade de vida. Busca também a competência técnica, elemento base para a contínua atualização, ou seja; a necessária competência para manejar e produzir novos conhecimentos. Outro elemento importante é o dar-se conta de que se deve buscar sua inserção no mundo produtivo, econômico, podendo assim, participar das definições do crescimento social, econômico e político. Oferecer oportunidades que trarão exigências claras sobre o Ensino Superior, também em termos regionais, buscando corresponder a desafios específicos ou a superação de lacunas preocupantes.

Neste contexto, encontramos o Município de Itumbiara que está localizado no extremo Sul de Goiás, às margens do Rio Paranaíba, a 204 quilômetros de distância de Goiânia, ocupando uma área de 2.464,6 quilômetros.  Sua localização é privilegiada dentro do território goiano, por ser muito próxima dos grandes centros de desenvolvimento do país e estar servida por duas importantes rodovias federais (BR 153 e BR 452).

 A cidade de Itumbiara tem sua economia baseada no comércio, agricultura, pecuária, agroindústria e serviços, gerando um PIB superior a 800 milhões de reais.

Situada na micro-região do rio Meia Ponte no estado de Goiás, Itumbiara fica próxima ao pontal do Triângulo Mineiro e congrega 26 municípios possuindo mais de 380.000 habitantes. Itumbiara se constitui o principal centro urbano e pólo de desenvolvimento econômico e educacional dessa região.

A quantidade de docentes em Creche, Pré-Escola e Classes de Alfabetização devem crescer nos próximos anos, segundo as metas do Plano Nacional de Educação – PNE. Tal documento estabeleceu a meta de atendimento escolar para 50% das crianças de até três anos de idade e 80% das crianças de 4 a 6 anos. A meta para as crianças de seis anos é ainda mais ambiciosa, ou seja, 100% de atendimento escolar no mesmo período de tempo, isto é, dez anos. Para atingir estas metas, a rede pública terá que aumentar consideravelmente sua participação, o que demandará o aumento de docentes nessa área de atuação. Uma realidade incontestável, especialmente quando se considera que, em 2002, o Censo Escolar registrou um total de 2,4 milhões de funções docentes na Educação Básica, para um total de 50,6 milhões de alunos matriculados em Creches, Pré-Escolas, Classes de Alfabetização, Ensino Fundamental e Ensino Médio.

Tais dados contribuem para demonstrar a importância e a relevância do Curso Pedagogia: Formação de Professores para a Educação Infantil e Anos Iniciais do Ensino Fundamental, do Instituto Superior de Educação Santa Rita de Cássia.

Sendo assim, entendemos que Curso Pedagogia se constitui de suma importância para o desenvolvimento desse pólo educacional, pretendendo atender a demanda emergente da região, com o intuito de articular a formação aos aspectos inovadores que se apresentam no mundo contemporâneo, credenciando profissionais que tenham condições de atuar, no contexto educacional com excelência profissional.